Escreva-se no meu canal

segunda-feira, 31 de agosto de 2020

OPINIÃO: Carlos Evandro provou que não ‘é cachorro morto’ em Serra Talhada

 Por Paulo César Gomes, professor e colunista do Farol

No início deste ano, o ex-prefeito Carlos Evandro (Avante), durante entrevista ao Programa Farol de Notícias, foi provocado pelo seu ex- seguidor e aliado, China Menezes, sobre sua inviabilidade política. Sem pensar duas vezes, Carlão respondeu: “Eu não sou cachorro morto!

O tempo passou e Carlos Evandro acabou tendo que se submeter a um procedimento cirúrgico, ao mesmo tempo, em que viu suas chances de concorrer, pela quarta vez a prefeitura de Serra Talhada, ser praticamente descartada após relatório do TCE, que o apontou como inelegível por oito anos.

Pois bem, eis que Carlão, mesmo em um processo de recuperação médica, chama pra si a responsabilidade, e indica para lhe suceder na disputa a sua esposa, a ex-primeira dama Socorro Brito (Avante).

A indicação de Socorro Brito para concorrer a prefeitura pela oposição embaralha a disputa eleitoral, e coloca ainda mais pimenta em uma campanha que já promete ser quente há bastante tempo.

Teremos então a disputa entre duas mulheres, que coincidentemente já ocuparam o cargo de secretária de saúde, e que vão defender com unhas e dentes os legados dos seus líderes. Márcia Conrado (PT), irá seguir na trilha do discurso de Luciano Duque (PT), e Socorro Brito, continuará levantando bandeira do seu esposo. Ou seja, o debate sobre que fez mais, Carlão ou Duque, continuará sendo o mote principal desta campanha.

No entanto, restará uma dúvida sobre como Luciano Duque irá debater com Socorro Brito, isso porque, é de domínio público que os dois não são se bicam. E se o “caldo” esquentar, muita coisa poderá vir à tona sobre os oito anos em que Luciano foi vice de Carlão e as explicações do por que os dois romperam,  após Duque assumir o cargo prefeito.

Outro detalhe que deverá chamar atenção é a forma como o grupo governista vai reagir ao discurso inflamando e critico da Dra. Eliana Oliveira (PSL), que fará dupla com Socorro Brito.

Duas coisas são certas. O protagonismo desta eleição será todo das mulheres e o debate vai ser bastante acalorado. E para encerrar, fica ai um lembrete ao nosso grande amigo e parceiro China Menezes, e as demais lideranças governistas: Carlão tinha razão, nessa eleição ele não é cachorro morto!

FOTO HISTÓRICA: Time do Estudantil Serratalhadense em 1950

Por Paulo César Gomes


A foto em destaque é o histórico time dos Estudantil Serratalhadense, com a sua formação no ano de 1950. O Estudantil foi um dos primeiros times amadores da cidade. Existem registros fotográficos do clube ainda nos anos de 1930.

A fotografia acima foi feita no antigo campo da Várzea, local onde em 1969 começou a ser erguido o estádio municipal Nildo Pereira de Menezes, “O Pereirão”.

Alguns detalhes chamam atenção, uma delas é que vários jogadores aparecem usando toca, outros são o fato do técnico e o massagistas usarem terno.

As curiosidades ficam em relação ao qual seria o medicamente secreto que o massagista guardava em sua maleta e porque um torcedor posou com uma espingarda.

Será que o objetivo de transitar com uma arma em torno do campo era intimidar o time adversário?

FOTO HISTÓRICA: Procissão de São Sebastião em Serra Talhada, durante a década de 1940

Por Paulo César Gomes



A imagem acima é de uma  procissão de São Sebastião, no final dos anos de 1940, em Serra Talhada. Observasse que uma multidão segue o andor com a imagem do santo, bem em frente a Igreja Matriz da Penha, o local ainda era na terra batida, isso porque, na época, a Praça Barão do Pajeú ainda não havia sido construída, fato que só ocorreu em 1951.

Atualmente uma imagem de São Sebastião, que pertence ao vereador Dedinha Ignácio, está visitando, desde abril, as casas de serra-talhadenses, de diferentes bairros e localidades do município.

Segunda a tradição católica, o santo é protetor contra doenças graves e epidemias. Nesse momento, vários fieis oram para que a pandemia do covid-19 chegue ao fim.

quinta-feira, 27 de agosto de 2020

OPINIÃO: Em Serra Talhada, a média de mortes de idosos é maior que a do Brasil

 Por Paulo César Gomes, Professor e colunista do Farol



Serra Talhada chegou a triste marca de 48 óbitos confirmados, na noite desta quarta-feira, 26. A triste marca impressiona por mostrar o grau de violência e tristeza que a doença vem marcando a vida de dezenas de famílias serra-talhadense. O vírus está matando mais que qualquer briga de família, ou até mesmo, do que em período de violência extrema, a exemplos do cangaço e do coronelismo.

Serra Talhada é hoje a segunda cidade em números de óbitos no sertão Pernambucano, ficando apenas atrás de Petrolina, com 69, e bem a frente de Arcoverde, 32; Araripina, 25; Salgueiro e Ipubi, 20. É bem verdade que as taxas de letalidade e mortalidade ainda são relativamente baixas e a cobertura de leitos hospitalares da rede pública e privada aumentou.

No entanto, um dado chama atenção, e faz a pandemia deixar o rastro de tristeza e dor em boa parte população. O alto índice de mortes de idosos é algo assustador e muito preocupante. Entre os 48 mortos, 87% eram idosos. É o mesmo que dizer que a cada de 10 mortes, 9 são de idosos.

A taxa de mortalidade no Brasil, até o dia 08 de agosto, era de 72,5%, ou seja, Serra Talhada está 10% a frente da média nacional. Diante disso fica uma questão importante para se debater: o que fazer para preservar a vida nossos idosos?

Segundo a Prefeitura Municipal, a maioria dos óbitos ocorreram porque as pessoas demoraram a ir buscar o atendimento médico. Essa é uma justificativa plausível. Outros acreditam que os procedimentos médicos envolvendo a entubação não estão salvando a vida dos idosos, mas essa é uma questão controversa porque não existe um estudo cientifico sobre o assunto.

O fato é que a cidade já está praticamente funcionando em todos os setores, inclusive com bares e restaurantes funcionado, e agora as quadras esportivas. Um único setor expressivo que não foi reaberto é o da educação presencial. Além do processo de reabertura, vale destacar que as pessoas que não usam máscaras não são multadas, mesmo que existe uma lei regulamentando a punição.

A bem da verdade, é que se a situação continuar assim e se algo não for feito urgentemente, mais idosos irão morrer. Filhos, netos e bisnetos irão continuar chorando a morte de entes queridos, amados e especiais. Tá na hora de protegermos aqueles que um dia nos protegeram!