Escreva-se no meu canal

segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

VIAGEM AO PASSADO: Fátima Novaes é exemplo de otimismos em Serra Talhada

Por Paulo César Gomes, para o Farol de Notícias



O Viagem ao Passado deste domingo presta uma singela homenagem a nobre serra-talhadense Fátima Novaes. Na fotografia de 1989, vemos a Fátima ao lado músicos (da direita para esquerda) Camilo Melo, Leonardo Sullivan e do saudoso Ricardo Rocha.

Durante as décadas de 1980 e 1990, era comum ver Fátima Novaes recepcionando os cantores e cantoras que por aqui passavam com muita alegria e atenção, sempre que possível, ela presenteava os visitantes com produtos locais.

Apesar da deficiência visual, a nossa querida Fátima sempre foi e é uma pessoa de estima elevada, algo que deve servir de inspiração para muita gente. Durante os anos 1980, Fátima foi a primeira deficiente visual a apresentar um programa de rádio, ainda na extinta A Voz do Sertão AM.

Ela sempre iniciava os programa mandando alô para seus “amores”, os fãs, e sempre dizendo que a vida está maravilhosa “cheias de bolinhas azuis”.

Fica a nossa mensagem de gratidão a Fátima Novaes pelo seu pioneirismo e pelo exemplo de vida que ela representa.

terça-feira, 11 de dezembro de 2018

VIAGEM AO PASSADO: Serra Talhada dos anos 50 e o adeus ao Coreto da Praça

Paulo César Gomes, para o Farol de Notícias


Na imagem em destaque é possível perceber como a vida era tranquila na Serra Talhada da década de 1950, principalmente na tradicional praça Sérgio Magalhães. A foto também traz um raro registro do primeiro coreto da cidade, que foi construindo na década de 1940.

O monumento resistiu até 1970, quando foi destruído durante a reforma da praça. Na época, alguns serra-talhadenses não aprovaram a iniciativa do então prefeito Nildo Pereira de por no chão o antigo coreto.O curioso é que nesta última semana a derrubada do atual coreto foi questionada por alguns populares, que aparentemente desconhecem que no atual projeto de reforma o monumento não faz parte.

HISTÓRICO E POLÊMICAS

O atual coreto foi construindo em 1970 e inaugurado em 1971. Durante vários anos ele foi usado para realização de atividades políticas e apresentações culturais. Entre 1993 e 1996, e entre 2001 e 2004, lá foi realizado o projeto Artistas na Feira, que sempre acontecia às segundas-feiras. Em 1995, durante o Tributo a Virgulino, o coreto foi o local onde Expedita Ferreira, a filha de Lampião, falou em rara aparição para os conterrâneos de seu pai.

Originalmente possui uma espécie de ‘meia parede’ que foi derrubada no início de 1990, quando o então prefeito Ferdinando Feitosa autorizou que o local fosse fechado pelas laterais e transformado em um bar. O fato revoltou a população que não aceitou ver o coreto ser literalmente privatizado e transformado em um ponto comercial. Em outra polêmica, oito pinturas do artista plástico Juraci Jusseé, que decoravam as laterais do coreto foram apagadas com cal pela prefeitura.

Ao longo dos anos o coreto foi abandonado pelo poder público. Nada foi feito para transformar um dos principais cartões postais da cidade. O esquecimento fez com que o local virasse abrigo para mendigos e sem tetos, até ponto de consumo de bebidas alcoólicas, drogas e de práticas sexuais, o único período em que se percebia a atualidade do monumento era durante as festas natalinas.

De alguma forma, alguns irão se lembrar desse velho coreto, outro nem tantos. Talvez seja em função da simplicidade dele, talvez porque não fosse tão belo, mas se de alguma forma for lembrado ao longo das próximas décadas, é porque certamente teve um significado, teve sua relevância, algo que nossa geração talvez não tenha sabido ou tenha demorado a entender.

O CORETO ANTES DE SER DEMOLIDO 



terça-feira, 4 de dezembro de 2018

ADEMIR MARTINS: Radialista de Serra Talhada comemora 35 anos no ar

Por Paulo César Gomes, para o Farol de Notícias



A foto em destaque é do carismático radialista Ademir Martins, o popular ‘Granjinha”, que este ano completou 35 anos de profissão. Tudo começou no estúdio da extinta rádio “A Voz do Sertão AM”, o mesmo que aparece na imagem.

Ao longo dos anos, o radialista boa praça e dono de um estilo inconfundível, passou pelos microfones da Líder do Vale FM e atualmente comanda o seu tradicional programa radiofônico nas tardes dos sábados e domingos, na Cultura FM.

Ademir Martins, um legitimo sósia do cantor Adilson Ramos, carrega no coração duas grandes paixões: a primeira é pelo time Vasco da Gama, e a outra, é torcer eternamente contra o “menguinho ruim que dói”. Pelo time carioca Ademir é capaz de apostar dezenas e milhares de “bi”, expressão pela qual define dinheiro.

HÁBITOS

Entre o hábitos peculiares ao radialista está os apelidos que costuma dar aos seus automóveis, a tapioquinha branca (um gol) e chapolim colorado (um Fiat), um outro é o de sempre trabalhar cercado por elementos naturais e objetos que animam a decoração do estúdio.

A equipe do Farol de Noticias parabeniza Ademir Martins pelos 35 anos de trabalho e pela passagem do seu aniversário agora no início de dezembro.

segunda-feira, 26 de novembro de 2018

VIAGEM AO PASSADO: O dia em que Serra Talhada lutou contra Bernardo Vieira

Por Paulo César Gomes, para o Farol de Notícias

O ‘Viagem ao Passado’ deste domingo, resgata a polêmica história que envolveu a emancipação do distrito de Bernardo Vieira. A situação bastante complexa surgiu com a Lei Estadual nº 4.993 , de 20 de dezembro de 1963 , que elevou o distrito de Bernardo Vieira, assim como outros distritos do estado, à categoria de município.

O então prefeito Luiz Lorena foi contra a emancipação e em março de 1964, às véspera da nomeação do prefeito do novo município pelo na época governador Miguel Arraes, entrou com a ação no Tribunal de Justiça, contra a elevação do distrito. Segundo Luiz Lorena, Bernardo Vieira não se encaixava no critério que a própria lei estadual exigia para se tornar município, entre eles, estava o fato da população e a arrecadação ser inferior as exigidas na Lei.
O Tribunal acatou o pedido e de forma liminar impediu a nomeação. A emancipação foi revista em definitivo em 27 de agosto de 1964, através do acórdão do Tribunal de Justiça, mandado de segurança nº 56.889, o que fez com que Bernardo Vieira voltasse a condição de distrito do Município de Serra Talhada. No entanto, outros distritos vizinhos conseguiram a sua emancipação através da Lei Estadual, a exemplo de São Serafim, que pertencia ao município de Flores, e que hoje é conhecida oficial como Calumbi.

As matérias foram extraídas do Jornal Diário de Pernambuco.




segunda-feira, 19 de novembro de 2018

VIAGEM AO PASSADO: Relatos do processo de construção do Colégio da Imaculada Conceição em Serra Talhada

Por Paulo César Gomes, para o Farol de Notícias


O Viagem ao Passado desta semana desvenda o processo de construção de um dos colégios mais tradicionais de Serra Talhada, o Imaculada Conceição, ou como muito preferem chamar popularmente, a “Escola Normal”. A imagem acima é de uma espécie de revista ou encarte, no qual aparece em destaque o monumento em homenagem a Nossa Senhora da Conceição, em meados da década de 1940.

O detalhe é que possível perceber ao fundo que o segundo andar e parte da estrutura do Colégio ainda não haviam sido erguidos. Na imagem ainda é possível observar a frase “Movimento ENIC”, ou seja, existiu um movimento em apoio a ampliação da Escola Normal Imaculada Conceição, ou esse movimento fazia parte das próprias atividades internas do educandário.

Outro detalhe, é o fato de que a popular Rua Comandante Superior ainda era de terra batida, e que na época, a calçada que durante anos abrigou dezenas de ambulantes ainda não havia sido construída.
Na foto abaixo, na década de 1950, de um anglo um pouco diferente da imagem acima, já é possível perceber que o primeiro andar do CIC já havia sido levantado. Sendo assim, é possível dizer que o monumento em homenagem a santa foi erguido antes da conclusão das obras do prédio da escola.


segunda-feira, 12 de novembro de 2018

VIAGEM AO PASSADO: A relação do Maestro Nogueira e seu saxofone

Por Paulo César Gomes, para o Farol de Notícias


O Viagem ao Passado deste domingo presta uma justa homenagem ao Maestro “Seu Nogueira”. O Maestro deixou um legado singular para a música e para educação de Serra Talhada.

Na foto, o nosso querido “Seu Nogueira”, posa com seu inseparável saxofone, trajando a impecável farda da Filarmônica Villabelense.

A imagem foi feita durante as comemorações do dia 07 de setembro, em meados dos anos de 1980.

RECONHECIMENTO: Serra-talhadense é homenageado pelo TCE

Por Paulo César Gomes, para o Farol de Notícias


O pai do Deputado Federal Sebastião Oliveira (PR) e do suplente de Senador e advogado Waldemar Oliveira (PR), o Conselheiro Sebastião Ignácio de Oliveira Neto, foi um dos homenageados durante as celebrações pela passagem do Jubileu de Ouro do Tribunal de Contas de Pernambuco.

O evento foi realizado na última quinta (08), no auditório do edifício-sede do Tribunal, em Recife. Além do Conselheiro Oliveira Neto, outras 49 personalidades do estado também receberam uma medalha comemorativa pelos 50 anos do TCE, entre autoridades, estavam o governador Paulo Câmara e o prefeito Geraldo Júlio, presidentes de Instituições, ex-conselheiros do Tribunal de Contas, ex-governadores de Pernambuco e servidores da Instituição.

O advogado Waldemar Oliveira foi quem recebeu a medalha em homenagem (in memorian) ao genitor.

PERFIL HISTÓRICO

Sebastião Ignácio de Oliveira Neto nasceu em Serra Talhada em 25 abril de 1929, e faleceu aos 61 anos na capital do estado. Era filho de Manoel Inácio de Oliveira, conhecido popularmente com Irnero Inácio, e de Francisca Nunes de Oliveira. Ele foi casado com Célia Maria Araújo Andrada Oliveira.

Formou-se em Bacharel Ciências Jurídicas e Sociais, em 1958, pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).  Entre os anos de 1950 e 1968, ocupou o cargo de Superintendente do Instituto do Açúcar e do Álcool (IAA). Em 1962, integrou os quadros do Tribunal de Justiça de Pernambuco, como escrivão da oitava vara Criminal da Comarca do Recife. Foi o primeiro membro Inácio de Oliveira a assumir uma cadeira de deputado estadual, entre anos de 1963-1966 e 1967-1968, chegando inclusive ao posto de Vice-Presidente da Casa Joaquim Nabuco, entre 1963 e 1964.

A longa carreira de Oliveira Neto no TCE teve início em 1968, quando o tribunal veio a ser instalado efetivamente em 15 de outubro de 1968, quando o então governador Nilo de Souza Coelho empossou os cinco ministros, como eram então chamados os atuais conselheiros, Orlando Morais, Jarbas Maranhão, Luiz Fernando Guedes Pereira, Fábio Corrêa e próprio Sebastião Ignácio de Oliveira Neto.

A nomeação como Ministro consta no Ato nº 3021 de 11/10/1968, assinada pelo Governador Nilo de Souza Coelho. Oliveira Neto foi Ministro entre 1968 e 1969. Ocupou o cargo de presidente do TCE em duas oportunidades, entre os biênios de 1976/1977 e 1987/1988.

segunda-feira, 5 de novembro de 2018

VIAGEM AO PASSADO: Nos anos 80, o CIST foi palco para a ‘mulher morcego’

Por Paulo César Gomes, para o Farol de Notícias


Em clima de Halloween, o FAROL mistura carnaval com dia das bruxas, e revela uma fantasia bastante excêntrica usada por uma serra-talhadense, que deixou o salão do saudoso do Clube Intermunicipal de Serra Talhada (CIST), bastante sombrio.

A nossa ‘bat girl’ sertaneja usou a fantasia, com símbolos do morcego e uma máscara de borboleta em meados de 1980. O desafio dos nosso leitores é identificar a nossa corajoso heroína estilizada!

segunda-feira, 29 de outubro de 2018

VIAGEM AO PASSADO: Anônimos construíram um prédio público em Serra Talhada em 1920

Por Paulo César Gomes, para o Farol de Notícias


O Viagem ao Passado deste domingo trás a tona um grupo de anônimos trabalhadores serra-talhadenses que ajudaram a erguer um importante prédio da cidade, que já foi demolido. Os trabalhadores desta imagem ajudaram a construir o antigo Açougue Público, em meados dos de 1920, na antiga rua do Cisco, hoje rua Enock Ignácio Oliveira.

Nos anos de 1960 o açougue foi demolido e no local foi erguido o atual prédio da Prefeitura Municipal de Serra Talhada.

Chama a atenção o fato de que na época a preocupação com a segurança no trabalho era mínima. Outro detalhe que deve ser ressaltado, diz respeito a ausência de informações sobre a obra e também os nomes dos funcionários que trabalharam no açougue, infelizmente, pessoas como as da imagem, que entram para a história como figurantes, e não como protagonistas, já que foi através do suor do trabalho deles que vários prédios públicos e privados foram erguidos em Serra Talhada.

EXCLUSIVO: Miss Serra Talhada reaparece e dá a sua versão sobre 1993

Por Paulo César Gomes, para o Farol de Notícias

Em agosto passado o Farol publicou matéria sobre as conquistas de Serra Talhada nos concurso Miss Pernambuco (relembre), com o eixo que a cidade poderia ser pentacampeã da beleza feminina, em função da performance de Gleice de Lima Silva, na época, com 18 anos. A informação foi repassada pelo extinto jornal Folha do Interior.

Nessa quinta-feira (25), Gleice de Lima Fridisen- que herdou o sobrenome do marido- conversou com o Farol, e disse que ficou surpresa ao ler o texto. Hoje ela reside em São Paulo, e tem três lindas filhas- Stefany, Pyetra e Agatha- e vive feliz com o marido Adenilson Fridisen.

“Na verdade eu participei do Concurso o Estudante (a) mais bela do Recife, que ganharia exclusividade na Mayson Junny Radan e ganhei esse concurso e alguns outros no Recife. Nasci em Recife, tinha 18 anos. Eu era Modelo exclusiva da Mayson Junny Radan, e o Dejinha, que era na época do Jornal de Serra Talhada (Jornal Folha do Interior), me escolheu para representar a cidade, e logo aceitei porque já tinha ido até Serra Talhada para um evento e me senti muito feliz em representar. No jornal saiu muitas informações erradas, inclusive meu nome, eu não sou natural de Serra Talhada, mas estava a representando. O evento para passar a faixa foi realizado pelo prefeito Augusto Cesar e sua esposa. Foi uma noite lindíssima”, relembre Gleice Fridisen.

Ao ser questionada sobre a possibilidade de ter sido a quinta Miss Pernambuco a representar Serra Talhada, já que ela, na época, ficou na segunda colocação, mas quem acabou sendo coroada foi uma outra candidata, Gleice preferiu não comentar nada, pelo menos por enquanto. Ela tem planos para retornar a Serra Talhada. “Existe muita coisa complicada nessa história”, resumiu a Miss Serra Talhada 1993.


sexta-feira, 26 de outubro de 2018

O milagre Vermelho

Por Paulo César Gomes

O Brasil está próximo de viver uma história surreal e que certamente entrará para os anais da política brasileira, a vitória de Fernando Haddad no próximo domingo. Para o lado de lá, a eleição já acabou e agora é só abrir a champanhe para comemorar. Mas para o lado de cá, a luta ainda não acabou.

Não acabou por que ainda falta conquistar dezenas e milhares de votos, e que segundo as pesquisas, tende a vir para o lado de cá. Temos até o domingo para chegarmos tecnicamente empatados com o fascista e resolver a peleja no próprio domingo, conquistando os votos daqueles que ainda estão em dúvida.

Talvez alguns estejam desperançosos com virada, e para esses eu conto aqui a impressionante história do time inglês do Liverpool, quem em 2005, foi campeão da Liga dos Campeões da UEFA, após um jogo heroico contra o Milan da Itália. Esse jogo ficou conhecido como o milagre de Istambul (local onde a partida foi realizada).

O time dos ‘reds’, como é conhecido por ter o seu uniforme todo na cor vermelha, terminou o primeiro do tempo do jogo de cabeça baixa e perdendo de 3 x 0. Muitos já não acreditavam na virada. Foi então, que durante o intervalo, a apaixonada torcida do time vermelho começou a cantar o hino do clube da terra dos Beatles, You'll Never Walk Alone (Você Nunca Caminhará Sozinho). 

Ao ouvirem os sons que vinham das arquibancadas, os jogadores voltaram em campo como se estivessem entrando no Coliseu, dispostos a, literalmente, dar vida pelo clube e pela sua torcida. Inacreditavelmente, o Liverpool empatou o jogo em apenas seis minutos, foram três gols feitos entre os seis e quatorze minutos.

O jogo terminou empatado em 3x no tempo normal e na prorrogação, e nos pênaltis o time vermelho conquistou o título que parecia impossível. Extasiados com a vitória, torcida e jogadores cataram juntos ‘Você Nunca Caminhará Sozinho’.

E é com esse espírito que lutaremos até o fim, até o último minuto! Tendo como trilha o hino do Liverpool, e no final cantaremos todos juntos para Haddad, You'll Never Walk Alone (Você Nunca Caminhará Sozinho)!

https://www.youtube.com/watch?v=-94n8zQnk2Y

pop up livro 2

Untitled Document